quarta-feira, 15 de setembro de 2010

O Tríplice Propósito da profecia

1. A manifestação do Espírito Santo é para o que for útil 1 Co 12.7
2. o dom de profecia cessará na vinda de Jesus 1 Co 13.8-10
3. A importância do dom de profecia 1 Co 14.6
4. O dom de profecia é um sinal para os infiéis 1 Co 14.22-25
5. Os dons espirituais são para a edificação da Igreja 1 Co 14.26
6. O dom de profecia é para consolação 1 Co 14.31

1. Os dons espirituais
1. A situação em Corinto. Ao falar sobre os dons espirituais em 1 Coríntios 12 a 14, o apóstolo Paulo não introduz nenhum ensino novo na igreja; a manifestação dos dons já era bem comum no meio do povo de Deus.
Mas, posto que ocorresse abuso na prática dos dons espirituais, devido a inexperiência daquela igreja, que ainda enfrentava problemas de altivez espiritual ( 4.7,18 ) e dissensão ( 11.18), entre outros, o apóstolo foi constrangido e inspirado pelo Espírito a escrever aos irmãos coríntios,  para  que as distorções fossem corrigidas.
Paulo trouxe um ensino muito importante sobre o assunto, esclarecendo as manifestações sobrenaturais do Espírito Santo.Ele conscientiza a igreja que todos os que receberam dons espirituais do Senhor podem e devem administrá-los com sabedoria, prudência e humildade.

2. A importância do amor

1. A relação entre caridade e os dons ( 14.1 ). A maneira como Paulo escreve parece indicar que havia em Corinto uma competitividade na busca e na utilização dos dons espirituais entre os crentes desta igreja ( 12.29,30 ). O capítulo 14 inteiro trata de dois deles: línguas e profecia. Em torno de ambos, havia muita indisciplina no culto.
Os coríntios tinham de entender que é Deus quem concede os dons, e cada um desses tem a sua importância no Corpo de Cristo.
Portanto, eles não tinham de que se gloriar, incentiva os crentes a buscar os dons espirituais: "Segui a caridade e procurai com zelo os dons espirituais, mas principalmente  o de profetizar " (14.1). A busca pelos dons, porém, deve ser feita com amor, não tendo como motivação a disputa; tudo tem de ser feito com decência e ordem.
2. A nulidade dos dons sem caridade. Os dons espirituais devem ser buscados com zelo e colocados em prática com amor. Profetizar, ou exibir qualquer das manifestações do Espírito Santo sem a prática do amor em nada resulta, afirma o apóstolo em 1 Coríntios 13.1-3
3. A perenidade do amor. O amor é o mais importante que os dons espirituais, pois ele nos acompanhará até mesmo no céu, ao passo que os dons espirituais são transitórios  ( 13.8-10,13). Eles cessarão com o fim das atividades da igreja de Cristo na terra.

3. O dom de Profecia ( 14.3)

1. A edificação. Todas as profecias devem ser devidamente julgadas á luz da bíblia, a fim  de que não venham causar confusão á igreja nem abalar a fé dos mais fracos. Há certos grupos que sem o conhecimento do pastor, reunem-se em casas  e põem-se  a profetizar  segundo seu belprazer, com intuito de manipular a fé dos imprudentes. Não podemos esquecer-nos de que um dos principais objetivos da profecia é a edificação dos fiéis.

2. Exortação. A palavra original aqui para " exortação" é paraklêsis, de onde procede o substantivo parákletos-"defensor, advogado" ( 1 Jo 2.1). Todos esses significados revelam a missão da profecia, pois o Espírito inspira o profeta a animar, despertar, alertar e falar as palavras de encorajamento tanto á igreja como a alguem em particular.

3. Consolação. A consolação pelo Espírito fortalece a fé, produz nova expectativa, renova a esperança e elimina os temores. Isso ajuda no fortalecimento e edificação da igreja. Esse tríplice propósito do dom de profecia demonstra porque o apóstolo insiste e incentiva os crentes a buscarem essa dádiva celestial.

Fontes: lições Biblicas CPAD,Esequias Soares.
http://profetizandovidanovaledeossossecos.blogspot.com/