quarta-feira, 15 de setembro de 2010

O Tríplice Propósito da profecia

1. A manifestação do Espírito Santo é para o que for útil 1 Co 12.7
2. o dom de profecia cessará na vinda de Jesus 1 Co 13.8-10
3. A importância do dom de profecia 1 Co 14.6
4. O dom de profecia é um sinal para os infiéis 1 Co 14.22-25
5. Os dons espirituais são para a edificação da Igreja 1 Co 14.26
6. O dom de profecia é para consolação 1 Co 14.31

1. Os dons espirituais
1. A situação em Corinto. Ao falar sobre os dons espirituais em 1 Coríntios 12 a 14, o apóstolo Paulo não introduz nenhum ensino novo na igreja; a manifestação dos dons já era bem comum no meio do povo de Deus.
Mas, posto que ocorresse abuso na prática dos dons espirituais, devido a inexperiência daquela igreja, que ainda enfrentava problemas de altivez espiritual ( 4.7,18 ) e dissensão ( 11.18), entre outros, o apóstolo foi constrangido e inspirado pelo Espírito a escrever aos irmãos coríntios,  para  que as distorções fossem corrigidas.
Paulo trouxe um ensino muito importante sobre o assunto, esclarecendo as manifestações sobrenaturais do Espírito Santo.Ele conscientiza a igreja que todos os que receberam dons espirituais do Senhor podem e devem administrá-los com sabedoria, prudência e humildade.

2. A importância do amor

1. A relação entre caridade e os dons ( 14.1 ). A maneira como Paulo escreve parece indicar que havia em Corinto uma competitividade na busca e na utilização dos dons espirituais entre os crentes desta igreja ( 12.29,30 ). O capítulo 14 inteiro trata de dois deles: línguas e profecia. Em torno de ambos, havia muita indisciplina no culto.
Os coríntios tinham de entender que é Deus quem concede os dons, e cada um desses tem a sua importância no Corpo de Cristo.
Portanto, eles não tinham de que se gloriar, incentiva os crentes a buscar os dons espirituais: "Segui a caridade e procurai com zelo os dons espirituais, mas principalmente  o de profetizar " (14.1). A busca pelos dons, porém, deve ser feita com amor, não tendo como motivação a disputa; tudo tem de ser feito com decência e ordem.
2. A nulidade dos dons sem caridade. Os dons espirituais devem ser buscados com zelo e colocados em prática com amor. Profetizar, ou exibir qualquer das manifestações do Espírito Santo sem a prática do amor em nada resulta, afirma o apóstolo em 1 Coríntios 13.1-3
3. A perenidade do amor. O amor é o mais importante que os dons espirituais, pois ele nos acompanhará até mesmo no céu, ao passo que os dons espirituais são transitórios  ( 13.8-10,13). Eles cessarão com o fim das atividades da igreja de Cristo na terra.

3. O dom de Profecia ( 14.3)

1. A edificação. Todas as profecias devem ser devidamente julgadas á luz da bíblia, a fim  de que não venham causar confusão á igreja nem abalar a fé dos mais fracos. Há certos grupos que sem o conhecimento do pastor, reunem-se em casas  e põem-se  a profetizar  segundo seu belprazer, com intuito de manipular a fé dos imprudentes. Não podemos esquecer-nos de que um dos principais objetivos da profecia é a edificação dos fiéis.

2. Exortação. A palavra original aqui para " exortação" é paraklêsis, de onde procede o substantivo parákletos-"defensor, advogado" ( 1 Jo 2.1). Todos esses significados revelam a missão da profecia, pois o Espírito inspira o profeta a animar, despertar, alertar e falar as palavras de encorajamento tanto á igreja como a alguem em particular.

3. Consolação. A consolação pelo Espírito fortalece a fé, produz nova expectativa, renova a esperança e elimina os temores. Isso ajuda no fortalecimento e edificação da igreja. Esse tríplice propósito do dom de profecia demonstra porque o apóstolo insiste e incentiva os crentes a buscarem essa dádiva celestial.

Fontes: lições Biblicas CPAD,Esequias Soares.
http://profetizandovidanovaledeossossecos.blogspot.com/




sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Homilética

A pregação

1.1 Pregação. É o ato de pregar, é óbvio, mas de pregar a Palavra de Deus. Quem prega é pregador.
Foi a palavra que o cristianismo consagrou, desde o princípio, para designar aquele que leva as boas-novas da salvação. Pregador ( aquele que prega), vem do latim, " prae" antes e "dicare" anunciar, publicar. A palavra grega correspondente a pregador é "kêryx" , arauto, istoé, aquele que tem uma mensagem (kerygma) do reino de Deus, uma boa notícia, uma boa-nova-Evangelho, "evangelion" .

A própria palavra, portanto, já nos lembra o próposito da pregação. Ora, se " praedico" traduz "keryssõ" e " praedicatio", "kerygma" tanto as palavras gregas como as latinas denotam uma declaração pública, uma proclamação, um anúncio no sentido mais simples do keryx, isto é, arauto (do reino de Deus ). Assim, o pregador é o arauto das boas-novas de salvação; é chamado para proclamar " o ano aceitável do Senhor".
É o Evangelho a boa notícia que o pregador tem de anunciar; contém a mensagem de Jesus Cristo, o Messias ou Rei ungido por Deus para reinar eternamente. Para isto, é necessário que o pregador seja um bom receptor dessas verdades de Deus e possua todas as qualidades de bom transmissor, para que possa transmiti-las tais como recebeu, de maneira convicente. Deve receber e não reter a mensagem, sob qualquer pretexto; não deve acrescentar-lhe nada. Ao transmiti-la, deve ser honesto em entregá-lacomo a recebeu, para que possa desincumbir-se da missão da missão para a qual foi designado. É por isso que a " homilia ", como sinônimo de "sermo " (sermonis), passou a ter o sentido de discurso religioso, pregação , mensagem evangélica.
Esse é o motivo por que a pregação de ve ser bíblica. A mensagem do pregador deve provir das Escrituras Sagradas. A Palavra de Deus é viva: não há literatura no mundo a ela semelhante. Por ela, a Igreja tem sido nutrida através dos séculos e as almas têm-se libertado do pecado e do inferno. Ela nutre a vida das almas porque tem respostas para todos os problemas dos homens, além de dar testemunho de que, o Deus que atuou nos acontecimentos através dos quais surgiu  a igreja, continua a agir através da palavra do pregador.
1.2 Homilética. gr. " homiletikos", " ato de pregar sermões, homilias, de falar elegantemente na oratória eclesiástica " . Lat: "arte de falar bem" .

O pregador e o púlpito
2.1 Comunicacão. É o resultdo da interação de três elementos básicos: emissor, mensagem e receptor.
2.1.1. Emissor é aquele que transmite a mensagem. Para isso, depende de: Veículos: boca, voz, corpo, gesto,odor, sabor, palavra, tato, toque. Métodos: comunicação, sonora, visual, olfativa, gustativa, táctil. Decodificadores: ouvido, olhos, olfato, gustação, tato. Ora, é óbvio que o pregador não transmite a mensagem só com a voz, mas também com o seu próprio corpo.
2.1.2. Mensagem é aquilo que o emissor transmite. Ela contém idéia-imagem mental; código-sinal convencional; veículo-instrumento ou aparelho, e método - caminho a ser percorrido até o receptor.
2.1.3. Receptor é o ouvinte, ou om auditório. No caso da mensagem evangélica, o Emissor é o pregador.
A Mensagem é o produto representativo da homilética, qualquer que seja o método: oral, musical, impresso, ou influência do testemunho. O método oral exige pregador, texto e auditório. A mensagem precisa ter: tema, texto, introdução ou exórdio, elocução e conclusão. O pregador pode usar como veículos : microfone, alto-falante, rádio, jornais, revistas, televisão, e outros meios de comunicação. Sermões mais usados : expositivos, exortativos, doutrinários, evangélisticos ou evangelizantes e ocasionais. 

A homilética hoje. Pela evolução do uso, hoje a Homilética é sinônimo de retórica sacra. Por isso dizemos que é a homilética a arte de fazer sermões. Assim, não devemos pensar em Homilética apenas como técnica de comunicação verbal. É técnica de comunicação verbal, mas subordinada inteiramente à Teologia, pois está a serviço de uma mensagem divina que tem como comunicador o homem e como receptor o próprio homem. Não se pode, hoje pensar em falar de Homilética sem Teologia. Esta é a razão daquela, e é esse o segredo do sempre crescente uso do sermão bíblico nas denominações evangélicas da atualidade.

http://profetizandovidanovaledeossossecos.blogspot.com/
http://apologizar.blogspot.com/





domingo, 29 de agosto de 2010

Apologética-refutação

DEZ RAZÕES POR QUE NÃO SOU CATÓLICO.


1. Deus rejeita as imagens (Ex 20.3; Dt 27.15; Is 42.8; Jr 10.3-5)
2. A missa repete o sacrifício de Cristo (HB 9.22-28; 10.8-14)
3. O papa não é o cabeça da igreja (Ef 4.11-14)
4. Batismo não livra do pecado original (Mt 3.1-11; At 2.38; Cl 2.12)
5. O homem não é salvo por obras (Ef 2.8-10; Tt 3.3-5)
6. Jesus é o mediador entre nós e Deus não Maria ( 1 Tm 2.5; At 4.12)
7. Pedro e Paulo rejeitaram ser venerados (At 10.25-26; 14.15 )
8. Não existe purgatório (Hb 9.27; Jo 3.18,36; 5.24; Lc 16.19-31)
9. A confissão deve ser direta a Deus (1 Jo 1.9; 2.1-2, Hb 10.19-20
10. A Bíblia é a unica regra de fé e prática (2 Tm 3.15-17; Jo 5.39).


DEZ RAZÕES POR QUE NÃO SOU ESPÍRITA


1. Os mortos não se comunicam conosco (2 Sm 12.22-23; Lc 16.19-31)
2. Deus condena a mediunidade ( Ex 22.18; 1 Sm 28.3; Lv 20.6,27; Is 8.19)
3. Não existe reencarnação (Ec 9.4; Sl 90; Hb 4.7; Lc.23 .42-43; Hb 9.27)
4. Adivinhação e paranormalidade trazem maldição ( Dt 18.9-12)
5. Servir a ídolos e entidades é abominação (1 Co 10.19-20; Jr 10.3-5)
6. Deus reprova a leitura de mãos ( Is 47.13-14; Ez 13.18-23)
7. Não existe espírito de luz ( 1 Co 11.13-15 )
8. O homem não pode ser salvo pela caridade ( Ef 2.8-9; Tt 3.3-5 )
9. Satanás é real (Zc 3.1; Mt 4.1; Mt 13.19; ! Ts 3.5; Jo 8.44)
10. Há somente um Evangelho (Gl 2.8-9; Ap 22.18-21; 1 Co 15.1-5 )


DEZ RAZÕES POR QUE NÃO SOU MÓRMON


1. Os mórmons ensinam que a bíblia é falível ( 2 Pe 1.20-21; Mt 24.35)
2.  Pregam que Deus tem carne e osso ( Nm 23.19; Jo 4.24; Lc 24.39 )
3. Dizem que Cristo e o Diabo são irmãos ( Ez 28.15; Cl 1.16 )
4. Ensinam que Jesus era casado e polígamo (Jo 1.1, 14; Hb 4.15; 7.26)
5. Defendem que a igreja foi restaurada por Joseph Smith (Mt 16.18)
6. Acrescentam outro evangelho á Bíblia (Gl 1.9; Ap 22.18-21)
7. Fazem batismo pelos mortos ( Hb 9.27 )
8. Promovem investigação genealógica pelos mortos ( 1 Tm 1.4; Tt 3.9 )
9. Realizam casamento na eternidade (Mt 22.23-33; Mc 12.25; Lc 20.35)
10. Crêem na salvação pelas obras (At 4.12; Ef 2.8-9 )


DEZ RAZÕES POR QUE NÃO SOU TESTEMUNHA  DE JEOVÁ


1. Negam a Trindade ( Mt 3.16-17 e 28.19; Jo 14.19; Jo 14.16-17; 2 Co 13.13 )
2. Dizem que Jesus é menor que Deus (Fl 2.6-11; 14.9-10; 1 Jo 5.20 )
3. Crêem que o Espírito Santo é uma força ativa de Deus (At 5.3-4)
4. Não aceitam o inferno ( Mt 5.22, 10.28, 13.41-42, 23.33; Mc 9.43 )
5. Acreditam que a Terra permanecerá para sempre ( Is 51.6)
6. Não permitem a transfusão de sangue ( Jo 15.13)
7. Só os 144 mil farão parte da congregação celestial ( Ap 7.9-17 e 19.1)
8. Ensinam que Jesus é um ser criado ( Jo 1.1; 14; Cl 2.9; Jo10.30, 38)
9. Não crêem na ressurreição física de Jesus ( 1 Co 15.3-19; Jo 20)
10. Negam que estaremos com Cristo na morte (2 Co 5.8; Fp 1.21-24)

sábado, 28 de agosto de 2010

O que é uma seita e como indentificar.

Heresia deriva da palavra grega háireses e significa: "escolha", "seleção", preferência". Daí surgiu a palavra seita, por efeito de semântica.
Do ponto de vista cristão, heresia é o ato de um indivíduo ou de um grupo afastar-se do ensino da Palavra de Deus e adotar e divulgar suas próprias idéias, ou idéias de outrem, em matéria de religião. Em resumo, é o abandono da verdade.
O termo háiresis aparece no original em Atos 5.17; 15; 24.5; 26.5; 28.22. Por su vez, "heresia" aparece em Atos 24.11; 1Coríntios 11.9 ; Gálatas 5.20 e 2 Pedro 2.1.
O estudo da heresiologia é importante, sobretudo pelo fato de os ensinos heréticos e o surgimento das seitas serem parte da escatologia, isto é, um dos sinais dos tempos sobre os quais falaram Jesus e seus apóstolos.
O apóstolo Paulo, por exemplo, nos dois primeiros versículos do capitulo quatro da sua primeira epístola a timóteo, escreve:
" Mas o Espírito afirma expressamente que nos últimos dias alguns apóstataram da fé, por obedecerem a espíritos enganadores e a ensinos de demônios, pela hipocrisia dos que falam mentiras, e que têm cauterizada a própria consciência ".
O apóstolo Pedro escreve também:
" Assim como no meio  do povo surgiram falsos profetas, assim também haverá entre vós falsos mestres, os quais introduzirão dissimuladamente heresias destruidoras, até o ponto de negarem o Soberano Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina destruição. E muitos seguirão as suas práticas libertinas, movidos por avareza, farão comércio de vós, com palavras fictícias, para eles o juízo lavrado há pouco tempo não tarda, e sua destruição não dorme " ( 2 Pe 2.1-3).
Uma seita é indentificada, em geral, por aquilo que ela prega a respeito dos seguintes assuntos:

1. A Bíblia Sagrada
2. A Pessoa de Deus
3. A queda do homem eo pecado
4. A Pessoa e a obra de Cristo
5. A salvação
6. O porvir

Se o que uma seita ensina sobre estes assuntos não se coaduna com as Escrituras, podemos estar certos de que estamos diante de uma seita herética.
Entre as muitas razões para o surgimento de seitas falsas no mundo, hoje, destacam-se as seguintes:


1. A ação diabólica no mundo ( 2 Co 4.4 ).
2. A ação diabólica contra a igreja (Mt 13.19 ).
3. A ação diabólica contra a Palavra de Deus ( Mt 13.19 ).
4. O o descuido da Igreja em pregar o Evangelho completo ( Mt 13.25).
5. A falsa hermenêutica (2 Pe 3.16)
6. A falta de conhecimento da verdade bíblica ( 1 Tm 2.4).
7. A falta de maturidade espiritual ( Ef 4.14 ).

Todas as pessoas têm o direito de professar a religião de sua escolha. A tolerância religiosa é ostensiva a todos. Isso não significa, porém, que todas as religiões sejam boas. Nos dias de Jesus, existiam vários grupos religiosos: saduceus (At.5.17), fariseus ( At15.5) , essênios,, zelotes e herodianos. Os dois primeiros grupos tinham posições religiosas distintas ( At 23.8 ) . Mesmo assim,  Jesus não os poupou, chamando-os de hipócritas, filhos do inferno, serpentes, raça de víboras ( Mt 23.13-15,33). O Mestre deixou claro que não aceitava a idéia de que todos os caminhos levam a Deus. Ensinou  que há apenas dois caminhos: o estreito, que o conduz á vida eterna, e o largo e espaçoso, que leva a destruição ( Mt 7.13,14).
Os apóstolos tiveram a mesma preocupação: não permitir que heresias , falsos ensinos, adentrassem na igreja. O primeiro ataque doutrinário lançado contra a igreja foi o legalismo. Alguns judeus-cristãos estavam instigando os novos convertidos á prática das leis judaicas, principalmente a circuncisão. Em Antioquia, havia uma igreja constituída de pessoas bem preparadas no estudo das Escrituras (At 13.1) , que perceberam a gravidade da doutrina de alguns que haviam descido da Judéia e ensinavam: "Se não vos circundades segundo o costume de Moisés, não podereis ser salvos " ( At 15.1).  Tais ensinamentos eram uma ameaça á igreja. Foi necessário que um concílio apreciasse essa questão e se posicionasse.
Em Atos 15.1-35, temos a narrativa que demostra a importância de considerarmos os ensinos que contrariam a fé cristã.
Caro leitor os assuntos abordados acima são de extrema importância, pois estamos vivendo os últimos dias, falado por Jesus, nunca se viu tantas distorções da palavra, e tantos escândalos, e apostasia, comércio da fé.
Que estejamos atentos, pois a volta de Cristo está próxima.

fonte: Biblia de estudo apologética,seitas e heresias (Raimundo de Oliveira)ed.CPAD
http://profetizandovidanovaledeossossecos.blogspot.com

    terça-feira, 3 de agosto de 2010

    Vida e costumes dos povos bíblicos

    • 1. Gênesis 24.2; 47.29-31.
    •  O juramento com a mão sob a coxa. Significava então submissão, obediência irrestrita. Por isso Deus tocou a coxa de Jacó. (Gn 32.24-32).Realmente, dali para frente Jacó tornou-se um homem de Deus. Até seu nome foi mudado.
    • 2. Rasgar as vestes
    •  Era demonstração de luto, lamento e tristeza. Há 28 casos na Bíblia. Os sarcedotes não podiam fazer isso (Lv  10.6), mas , o de Mateus 26.5 o fez, sem razão. Esse ato de rasgar as vestes obedecia uma série de regras.
    • 3. Juízes 5.10- O cavalgar sobre jumentas brancas
    •   Era costumes exclusivo dos reis, juízes e fidalgos.
    •   Isso explica a passagem em apreço.
    • 4. Juízes 9.45-Semeadura de sal
    •   Esse ato significava desolação perpétua sobre o local.Castigo perene.
    • 5. Rute 3.9 - Pôr a aba da capa sobre alguém.
    • Significava a proteção. Aqui tratava-se da lei do levirato, conforme Deuteronômio 25.5-10, portanto nenhuma indecência havia aqui, como muitos querem.
    • 6. Salmo 119.83-Um odre na fumaça. Odres são vasilhas feitas de peles para o transporte de líquidos. Eram postas sobre a fumaça para ficarem endurecidas pelo calor e fumaça. Isso também fazia aumentar de resistênciaa espessura do couro, através do encolhimento. Fala do estado estado de alma de Davi.
    • 7. Maria desposada com  José
    • Na linguagem doAnigo Testamento, o termo significava noivos, conforme vemos em Deuteronômio 20.7;22.23,24. Naqueles tempos, em Israel, o noivado era o primeiro ato docasamento. Nessa ocasião, o noivo entregava á noiva o contrato de casamento, ou uma moeda inscrita:"Consagrada a mim" .
    • 8 Mateus 25.1-13 Um casamento oriental
    • As núpciasduravam 7 ou mais dias. A união definitiva do casal somente tinha lugar no último dia. Nesse dia, o noivo dirigia-se á casa da noiva, à noite, e a conduzia para a sua casa. Às vezes, o ato ocorria também de dia. A lua- de- mel durava um ano! ( Dt 24.C)
    • 9.Mateus 27.48-0-O vinho oferecido a Jesus na cruz
    • Tal praxe era usada então para tornar as vítimas insensíveis antes da morte. Jesus recusou. Sofreu a morte em estado de plena consciência.
    • 10.Lucas 5.19-O teto (eirado) da casa aberto com tanta facilidade
    • As casas da Palestina não tinham telhado, e sim eirado. Isto é, uma espécie de laje, feitas de vigas de madeira, recobertas de pedra e barro. O eirado recebia tratamento especial, a fim de recolher águas pluviais,dada a carência de água potável na citada região. Num teto assim, era fácil preparar uma abertura.
    • 11.Lc 10.4-A ordem de Jesus: "A ninguém saudeis pelo caminho"
    • Não se tratava de indelicadeza. O tempo que restava para Jesus era pouco, muito pouco, e as saudações orientais tomavam muito tempo, não somente devido à troca de expressões formais, mas também por causa das poses que o corpo assumia. Se os convidados por Jesus cumprimentassem o povo segundo a maneira daquela época, Ele não cumpriria sua missão redentora no devido tempo.Ele sempre  se referia ao "meu tempo".
    • 12. Um caminho de um sábado
    • Isto é, o caminho permitido no dia de sábado. Era a distância que ia da extremidadedo arraial das tribos,ao tabernáculo, quando no deserto. Essa distância era de 2.000 cúbitos equivalente a 1.200 metros (Js 3.4).
    • 13. Romanos 12.20-Brasas sobre a cabeça do inimigo (Pv 25.21,22)
    • O fato refere-se ás leis levíticas de Levítico 16.12, quando o sumo sacerdote fazia expiação pelo povo, incluindo o incesário cheio de brasas. A expiação satisfazia á justiça de Deus, promovendo a reconciliação do homem com Ele.
    • http://profetizandovidanovaledeossossecos.blogspot.com

    REFLEXÕES, PENSAMENTOS SOBRE DOUTRINAS BÍBLICAS

    "A questão não é se uma doutrina é bela, mas se ela é verdadeira.
    ANÔNIMO
    "Se você crê somente no que gosta do Evangelho e rejeita o que não gosta, não é no Evangelho que você crê,mas, sim em si mesmo".
    AGOSTINHO
    "Qualquer ensinamento que não se enquadre nas Escrituras deve ser rejeitado, mesmo que faça chover milagres todos os dias".
    MARTINHO LUTERO
    "Dizer:"Esqueça a doutrina,vamos evangelizar é tão ridículo quanto uma equipe de futebol que diz:"esqueça a bola, vamos continuar o jogo".
    Peter lewis
    "A finalidade para a qual Deus instrui a mente é para que Ele possa transformar a vida".
    Al Martinsa
    "Se não tornamos clara nossa posição, com palavras e obras, em favor da verdade e contra as falsas doutrinas, estaremos edificando um muro entre a próxima geração e o Evangelho".
    Francis Schaeffer
    "Aquele que crê mal nunca pode viver bem, pois não têm alicerces".
    Richards Sibbes
    "Os homens, para serem verdadeiramente ganhos, precisam ser ganhos pela verdade."
    C.H.Spurgeon
    "O propósito que está por trás de toda doutrina bíblica é garantir a ação moral correta, pois uma doutrina frouxa leva a uma moralidade igualmente frouxa".
    A.W.Tozer e R.A Torrey

    segunda-feira, 2 de agosto de 2010

    Palavra do Autor-Saudações

    Palavra de Esperança e Paz.

    A paz do Senhor Jesus meu querido irmão, por meio destas linhas venho demonstrar minha gratidão a Deus, o Criador dos céus e da terra.
    Também quero compartilhar com você, a alegria de estarmos juntos através deste meio de informação, e comunicação.
    Sou grato a Deus, por minha vida, família, amigos, irmãos em Cristo,pelas oportunidades que o Senhor têm me concedido de falar do seu amor.
    O meu desejo é que de alguma forma você seja abençoado, pela Palavra, louvores, estudos, que sua vida seja edificada, no pleno conhecimento de Jesus Cristo. Para isso, que possamos continuar batalhando juntos, pela causa do Mestre amado Jesus Cristo.
    Que a paz de Cristo esteja com você.